Luis Câmara Vicelli Fisioterapia, Acupuntura e Avaliação Postural Curitiba Batel - QUAL A IMPORTÂNCIA DA FISIOTERAPIA NO PRÉ E PÓS OPERATÓRIO DO LIGAMENTO CRUZADO ANTERIOR?
CÂMARA VICELLI - FISIOTERAPIA E ACUPUNTURA CURITIBA
  • 55+ (41) 3528-9009
Top
INFORMAÇÕES PARA CONTATO
  • Rua Emiliano Perneta, 822 - SL 1209
  • 55+ (41) 3528-9009
  • contato@camaravicelli.com.br
QUAL A  IMPORTÂNCIA DA FISIOTERAPIA NO PRÉ E PÓS OPERATÓRIO DO LIGAMENTO CRUZADO ANTERIOR?

QUAL A IMPORTÂNCIA DA FISIOTERAPIA NO PRÉ E PÓS OPERATÓRIO DO LIGAMENTO CRUZADO ANTERIOR?

QUAL A  IMPORTÂNCIA DA FISIOTERAPIA NO PRÉ E PÓS OPERATÓRIO DO LIGAMENTO CRUZADO ANTERIOR?

O ligamento cruzado anterior (LCA) é o principal estabilizador do joelho e o mais forte dessa articulação. Ele é considerado um “elemento fundamental” que controla o joelho normal. Ele é definido como frágil porque é vulnerável a lesão, mais frequentemente em relação ao ligamento cruzado posterior. 

A lesão do ligamento é a consequência de um trauma direto ou indireto. Ele é quase sempre unilateral e a ruptura pode ser completa ou parcial, o que é frequente na prática de esportes como futebol, voleibol, esqui, lutas marciais de alto impacto e outros que possam gerar rotação entre o pé e o joelho. Existem dois tipos de lesões: 

  • Parcial: ocorre em decorrência de um desgaste ou perda fracionada do ligamento. 
  • Total: alteração estrutural que sobrecarrega determinadas partes do corpo em relação a outras, onde ligamento é completamente rompido. 

Alguns dos fatores que podem ocasionar o problema são terrenos de competição inapropriados, calçados sem amortecimentos especiais para o esporte praticado e características fisiológicas individuais de cada atleta.

Os sintomas envolvem dor, limitação de movimento, edema, derrame articular e temperatura local elevada. O diagnóstico é realizado através de exames clínicos e complementares como ressonância magnética. 

O tratamento pode ocorrer de duas formas de acordo com a extensão da lesão do paciente:

Lesões parciais: a cirurgia é uma opção do paciente, podendo acontecer de forma conservadora através da fisioterapia e tratamentos similares.

Entretanto, em decorrência da não repararão da estrutura, o joelho pode perder seu movimento fisiológico, podendo desencadear artrose precoce, aumentando o risco de entorse, por ficar menos estável. 

Lesões totais: a cirurgia substitui o LCA lesado por uma estrutura com características biomecânicas superiores ou semelhantes à do ligamento original, promovendo uma fixação anatômica, gerando uma articulação funcional, estável e indolor.

QUAIS SÃO AS FASES DO TRATAMENTO NO PÓS OPERATÓRIO DO LIGAMENTO CRUZADO ANTERIOR?

As fases do tratamento nos dois casos são as seguintes; primeiramente, na fase aguda, os sintomas críticos podem ser amenizados através da crioterapia (gelo) e recursos fisioterapêuticos como a eletroterapia. Na fase seguinte é realizado o trabalho pré operatório através de exercícios direcionados a restaurar a amplitude dos movimentos e a restabelecer o controle muscular.

Após a evolução do quadro agudo, de duas a três semanas, em média, o indivíduo está apto à cirurgia. Uma parte muito importante deste tratamento é o trabalho proprioceptivo realizado pelo fisioterapeuta. 

O QUE É PROPRIOCEPÇÃO E COMO IRÁ AJUDAR NO TRATAMENTO DO PÓS OPERATÓRIO DO LIGAMENTO CRUZADO ANTERIOR?

A propriocepção é uma modalidade sensorial que envolve a sensação de movimento e a posição articular, com base em informações de fontes como o sistema nervoso central e outros. 

Existem dois tipos de propriocepção: a estática, onde existe a percepção consciente das orientações das diversas partes do corpo em relação umas as outras, buscando um reequilíbrio postural, e a dinâmica, que busca o sentido da velocidade do movimento.

O trabalho proprioceptivo deve ser realizado tanto na fase pré quanto na pós operatória, conforme protocolo a ser estabelecido. Existem dois protocolos; o acelerado e o conservador. No protocolo acelerado, o tempo é de seis meses, e no conservador, varia de nove a doze meses. 

Antes de qualquer trabalho proprioceptivo, os fatores a serem considerados são: os sintomas (dor, edema, cicatrizes, etc.), o segmento e o tipo de lesão. O paciente deve estar adaptado ao movimento a ser trabalhado e deve ser o mais próximo da sua realidade e do objetivo da reeducação, promovendo ao indivíduo uma maior independência funcional. 

Todo o trabalho realizado por um fisioterapeuta deverá considerar a individualidade de cada paciente, buscando o sucesso no tratamento para que o atleta se recupere com sucesso e tenha o seu retorno ao esporte. 

A Coluna Quatro Linhas agradece a imensa colaboração do competente profissional Dr. Luis Câmara, por ter dedicado seu tempo para compartilhar do seu conhecimento e experiência com todos os seus leitores e esportistas interessados no tema.   

Câmara Vicelli - Fisioterapia e Acupuntura Curitiba

TELEFONE
55+ (41) 3528-9009
ENDEREÇO
Rua Emiliano Perneta, 822 - SL 1209
EMAIL
contato@camaravicelli.com.br